ulatus
(21) 2730 – 6952 Seg – Sex 8:00 – 15:00
Solicite Orçamento
para Tradução
HomeTradutoresEntrevistasRobin M (EUA)

Tradutores 

Seguro do Manuscrito, gratuito por 180 dias
Tradução + Suporte à Publicação
Tradução + Suporte à Publicação
Formas de pagamento
  • Depoimento serviço de tradução - Editor
  • Depoimento serviço de tradução - Empresário
  • Depoimento serviço de tradução - Médico
  • Depoimento serviço de tradução - Professor

Entrevistas

Tradutor PT28 - Netherlands, Doutora em Farmacologia e Toxicologia

Tradutor PT28 (Netherlands)
Doutora em Farmacologia e Toxicologia

Esta tradutora é Doutora pela University of Tubingen, Alemanha. Ela possui significativa experiência na tradução de artigos científicos das seguintes áreas de estudo: medicina, farmácia, química, bioquímica e biologia molecular.


QVocê é doutor em Farmacologia e Toxicologia, além de possuir outras qualificações muito importantes. Assim, ter se tornado um tradutor sempre foi um desejo, mesmo que inconsciente, ao mesmo tempo em que você estudava para seu doutorado? Foi esse desejo que levou você a se tornar um tradutor?

AEu sempre gostei de escrever e ajudar os meus colegas com as suas publicações, então quando eu terminei o meu pós-doutorado, esta me pareceu ser a carreira perfeita, onde eu poderia combinar a minha paixão por línguas e por ciência.

QÉ muito interessante saber que você escolheu o Inglês como língua para tradução, já que você é brasileiro de nascimento. Compartilhe a sua história e experiência com o idioma Inglês e diga se você acredita que uma pessoa pode se tornar um perito em duas línguas tão diferentes?

AO Inglês tem sido a minha língua de trabalho desde 2006. Quando você lê, escreve e fala uma língua estrangeira por um longo tempo eu acho que é muito fácil se tornar um especialista no idioma.

QComo você se mantém atualizado com relação aos acontecimentos recentes na indústria e os assuntos que você traduz e, ao mesmo tempo, desenvolve suas habilidades na língua inglesa?

AHoje em dia é muito fácil de estar atualizado. Eu costumo acessar sites e ler revistas relevantes sobre os últimos acontecimentos nas minhas áreas de especialização. Também estou sempre lendo novos estudos e pesquisas publicados em Inglês, o que contribui para o desenvolvimento constante das minhas habilidades no idioma.

QVocê poderia falar sobre as suas áreas de especialização?

AMinhas áreas de especialização são: Bioquímica, Biologia Molecular, Farmacologia e Toxicologia.

QComo você faz para traduzir os manuscritos? Em sua opinião, quais são os atributos essenciais que cada tradutor profissional deve possuir?

AAntes de iniciar qualquer novo trabalho de tradução, eu costumo fazer uma revisão bibliográfica, navegar por sites relevantes e arquivos de referência para me familiarizar com o tema. Para ser um bom tradutor eu acredito que é preciso ser detalhista e ter um grande interesse em aprender novos temas/tópicos.

QVocê já traduziu documentos fora de sua área de especialização? Caso isso seja verdade, qual procedimento você seguiu com relação à seleção e uso de termos técnicos para tais atribuições?

ASim, eu já traduzi documentos que não eram relacionados com a minha área de especialização. Eu costumo seguir os mesmos passos como em qualquer outro trabalho, ou seja, primeiro eu faço uma análise completa do assunto, lendo estudos de referência relevantes, além da pesquisa on-line sobre informações e termos técnicos relacionados ao tópico. Só então continuo com a tradução.

QNa sua opinião, existe alguma diferença entre um manuscrito acadêmico e um não acadêmico?

AEm minha opinião, o processo é o mesmo, mas geralmente documentos não acadêmicos demandam um pouco mais de tempo para traduzir, pelo fato da linguagem ser um pouco mais ambígua.

QVocê poderia nos dar um exemplo de um trabalho que desafiou suas habilidades como tradutor?

AMe lembro de um documento da área de estudos estatísticos e que apresentava um conteúdo extremamente técnico; este trabalho acabou se tornando muito gratificante porque estava completamente fora da minha zona de conforto.

QVocê já usou ou usa atualmente qualquer programa para lhe auxiliar na tradução? E como tem sido a sua experiência com esses programas?

AEu não uso tradução automática ou qualquer software em trabalhos de tradução. Eu acho que ainda estamos um pouco longe de confiar completamente na tradução automática, especialmente no par de línguas Português-Inglês. O português é uma língua complicada porque difere muito de país para país; também existe o fato de algumas palavras terem vários significados, por isso a necessidade de se ler o parágrafo inteiro para entender o contexto em que a palavra é utilizada. Ainda não se é possível identificar estes contextos através do uso de tradução automática.

QQual é o ponto mais interessante com o qual você já se deparou enquanto trabalhava em documentos como gestor de tradução? Você acha que há diferença entre a tradução e a verificação da tradução

ATodos os trabalhos são interessantes porque você sempre aprende algo novo. Mas eu sou particularmente apaixonado por documentos relacionados à medicina. Minha abordagem para a verificação dos trabalhos traduzidos é a mesma que uso na tradução, ou seja, eu primeiro faço uma verificação das referências e leio websites relevantes e artigos da área para me familiarizar com o tema. No entanto, como gestor de tradução, é vital eu ter certeza de que o tradutor tenha comunicado fluentemente os pensamentos do autor no manuscrito traduzido, sem a introdução de erros de tradução e omissões e, ao mesmo tempo, mantendo a terminologia técnica correta. Às vezes, os tradutores tendem a se aprofundar muito na compreensão do texto original, o que resulta em uma tradução inadequada.

Tradutor PT7 - Brazil, Bacharel em Comunicação Social
Tradutor PT9 - Brazil, Doutor em Parasitologia
Tradutor PT28 - Netherlands, Doutora em Farmacologia e Toxicologia
Tradutor PT34 - USA, Bacharel em Ciências em Engenharia Química
W.A.B. Schmidt - EUA, Medicina geral, pediatria, obstetrícia e ginecologia
Jeffrey B. Hart - Reino Unido, Economia e Administração

(21) 2730 - 6952 ( Telefone/Chat : Seg - Sex 08:00 - 15:00 - Horário de Brasília)

Ou escreva-nos : atendimento@ulatus.com